Crítica do Filme: Vingadores - Ultimato

(Contém spoilers)

Já faz um mês que Vingadores: Ultimato estreou nas telonas e 13 dias que assisti pela primeira vez. Posso afirmar que continuo perplexo e em êxtase pelo que os meus olhos viram.

É difícil encontrar apenas um adjetivo que consiga definir o que é este filme. A nova empreitada da Marvel nos cinemas é magistral, emocionante, fantástica, extraordinária, enfim, ela é uma obra prima.



Desde Homem de Ferro em 2008, a Saga do Infinito contou com 22 filmes, ao longo de 11 anos, até chegarmos ao seu último capítulo que, concluí com êxito um ciclo que começou despretensioso, foi se ampliando e no final amarrou todas as histórias dos heróis da Casa das Ideias.  

Vale lembrar que mesmo com a jornada concluída, a Fase 3 dos filmes da Marvel não se encerrou. Homem Aranha: Longe de Casa vem aí e ao mesmo tempo em que funcionará como um prólogo também servirá de introdução para a nova etapa da empresa nos cinemas.

Mas voltemos a Ultimato. O longa-metragem, comandado novamente pelos irmãos Russo, consegue equilibrar de uma forma incrível a quantidade absurda de personagens que aparecem no filme, respeitando suas narrativas individuais e a evolução de cada um, sem perder de vista o “gran finale” contra o vilão Thanos.



Mesmo depois de diversas teorias especulando como seria solucionado o estalar de dedos de Thanos, é possível dizer que ainda não estávamos preparados para a montanha-russa de emoções que seria essa nova aventura dos Vingadores. 

Com mais de três horas de duração, o filme conta com fan services, easter eggs, resoluções de arco e uma variedade de momentos incríveis, que antes estampavam as páginas dos quadrinhos e hoje aparecem nos cinemas.

Eu gostaria muito de comentar cena a cena dessa maravilha da sétima arte, mas isso estenderia muito o texto e de certa forma estragaria a experiência daqueles que ainda não assistiram.

Para não entregar muitos spoilers, decidi direcionar esse texto para três pontos que de certa forma contextualização o filme e funcionam como a minha visão sobre esse épico de super-heróis.

O primeiro ponto que irei comentar é sobre a evolução de cada personagem até chegar a Ultimato. A Marvel fez um trabalho incrível mostrando desde o início o amadurecimento de cada um. Todos de certa forma conseguem entender qual é o seu papel dentro da trama e aceitam o fardo de ser um herói.

De Nick Fury a Drax, de Capitã Marvel a Valquíria, nenhum personagem é mal aproveitado. Cada um desempenha uma função, seja em filmes solos ou compartilhados. Isso faz com que o universo cinematográfico dos heróis se conecte e não deixe nenhuma ponta solta.



Por mais que o último capítulo dessa saga tenha 3 horas de duração, Vingadores: Ultimato não consegue mostrar todos os personagens da forma que os fãs desejam. Uns aparecem mais que os outros, mas tenha certeza que isso não influência de maneira alguma o enredo.

Vale mencionar que, A Santa Trindade da Marvel, formada por Homem de Ferro, Capitão América e Thor, continua conduzindo as principais cenas e arrancando as reações mais acaloradas do público.

Porém, outros heróis também roubam a cena como Hulk e a Viúva Negra, responsáveis por organizar novamente a equipe. Gavião Arqueiro e Homem-Formiga, que estiveram ausentes em Guerra Infinita, voltam com tudo e são peças chaves para o plano mirabolante de reverter os efeitos do estalar de dedos do Thanos.



Falando em plano mirabolante e já puxando o gancho para o segundo ponto. É através da ideia do Homem-Formiga, batizada de “assalto do tempo”, que a história do MCU é revisitada e assim percebemos como os filmes se encaixam.

Sem entrar muito na história, já que acabei entregando um spoiler no parágrafo anterior, o roteiro de Vingadores: Ultimato envolve toda a história do Universo Marvel e não apenas os eventos do último filme. Há tempo e espaço para revisitarmos acontecimentos passados e assim causar muita nostalgia aos fãs.

A Marvel acaba deixando claro que o plano sempre foi ser ambicioso e não fazer apenas mais um filme de herói, mas sim trazer todo o universo dos quadrinhos ao cinema.

Mesmo tendo as suas limitações, por causa da ausência de diversos personagens famosos como os X-men, a Casa das ideias conseguiu de certa forma superar a desconfiança do público e alcançou um nível de excelência impressionante. Hoje, ela é reverência no quesito filme de super-herói.   

Por fim, quais serão as possíveis continuações de Vingadores: Ultimato? Como eu disse no início do texto o Amigão da Vizinhança vem aí, porém, ele com certeza será “vendido” como um bônus da Saga do Infinito.  

Mesmo com o término recente dessa jornada de 11 anos nos cinemas, muitos estão curiosos e já teorizam quais serão os próximos passos da Marvel nas telonas. Aliás, o presidente da Marvel Studios, Kevin Feige, já confirmou uma fase 4, mas o anúncio oficial dos filmes só irá acontecer depois da estréia de Homem Aranha: Longe de Casa.

Lembrando que a Disney, proprietária da Marvel Studios, oficializou a compra da Fox. Então diversos personagens retornam a fazer parte do quadro oficial do MCU como os X-Men, Deadpool e Quarteto Fantástico. Porém, eu arrisco a dizer que vai demorar aí no mínimo uns dois anos para termos um filme de algum desses personagens.



Fato é que estamos vendo a história sendo escrita. Vingadores: Ultimato está entre nós batendo recorde atrás de recorde. Um filme cheio de surpresas e reviravoltas. Não se esquecendo daquele humor característico da Marvel, que já virou sua marca registrada.

A produção não deixa de ter suas falhas e muitos fãs devem sair das sessões procurando furos de roteiro ou questionando as justificativas apresentadas pelo enredo. Entretanto, tudo dentro da história fluí a ponto de você nem sentir as mais de 3 horas de duração. 

E sim, estamos diante do melhor filme de super-heróis de todos os tempos (até o presente momento).

Edmilson da Silva

Jornalista de formação, paulista e amante de uma boa resenha seja ela em um bar ou na porta de casa.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Instagram